A chave do ponto de leitura

Quem passa pela rua Otávio Kelly, em Icaraí, se surpreende com o quiosque de um chaveiro que além de diferentes…

Márcio Kerbel

Quem passa pela rua Otávio Kelly, em Icaraí, se surpreende com o quiosque de um chaveiro que além de diferentes tipos de chaves, oferece uma grande quantidade de livros em seu pequeno espaço. Há 30 anos na profissão, Edenilson resolveu fazer de sua banca, um espaço generoso de exposição e distribuição de livros.

Quem chega, pode pegar a obra que mais lhe interessar. Tudo começou há 18 anos, quando Edenilson constatou que seus livros guardados no armário de casa, estavam sob ataque de vorazes cupins. Ele não pensou duas vezes e resolveu trazer sua biblioteca para a banca onde confecciona suas chaves.

Em pouco tempo, a novidade se espalhou pelo bairro e a doação e troca de livros se tornou uma rotina que faz da banca de Edenilson, um ponto de encontro e uma inspiração para os apaixonados pela literatura. Gestos simples como esse, podem causar impactos positivos na vida das pessoas e mudar a forma como nos relacionamos com a comunidade. Que sirva de exemplo para que outras formas de espalhar literatura se tornem comuns em nossas cidades.

Comentários
Compartilhe esta matéria:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.

Quer enviar uma queixa ou denúncia, ou conteúdo de interesse coletivo, escreva para noticia@diariodeniteroi.com.br ou utilize um dos canais do menu "Contatos".