Acompanhe nossas redes sociais

Papo de Samba



Por Ricardo de Moraes*

Entendendo o enredo do samba e o samba enredo

NOTA DE PESAR

Este Papo de Samba é dedicado à memória do grande jornalista e professor Carlos Nobre, falecido na última terça feira, dia 15.10.2019. Os nossos pêsames aos familiares e amigos.

Nos primórdios dos desfiles, as escolas cantavam vários sambas de seus compositores. Eram dois, três ou mais sambas, muitas vezes um refrão de improviso seguido de outros versos, mas tomando como referência o depoimento de Djalma Sabiá ao Programa Tudo é Música da TVE , consta que em 1940 a extinta escola de samba “Depois eu digo”- verde e branco que na década seguinte, na fusão com outras escolas do morro, deu origem a Acadêmicos do Salgueiro – ao desfilar com o samba “A Casa do Pequeno Jornaleiro”, do compositor Pindonga, pode ter feito o primeiro desfile com um samba enredo, no sentido clássico. Essa é uma das nossas versões preferidas.

Desde então o regulamento dos desfiles evoluiu, muita coisa aconteceu e, mais tarde, as escolas teriam o samba enredo como um quesito no julgamento dos desfiles. No começo eram obrigatórios temas históricos, depois as próprias escolas passaram a escolher seus temas de enredo e na sequência o samba enredo.
No final da década de 1960 os sambas enredo das escolas, passaram a ser gravados e passaram a render um “cascalho forte” para os compositores, tendo como consequência um acirramento nas disputas e escolhas dos sambas.

Recentemente identificamos uma crise do samba enredo nas escolas. Apontamos além do advento dos “sambas de “escritório” – caracterizado por grupos de compositores reunidos para criar e disputar em diversas escolas, com caixa de investimento e faturamento comum e assinatura de um compositor da escola onde se concorre – as indicações de autores, algumas reedições, a adoção de músicas populares como sambas enredo e parcerias que mais parecem a escalação de um time de futebol, dentre outras deformações. Entendíamos que esse conjunto de fatores, acabavam com a boa disputa e inibindo o surgimento de novos nomes nas alas de compositores das escolas.
Eis que de 2019 para 2020, surge uma luz no fim do túnel, com duas novidades:

A Estação Primeira de Mangueira inovou adotando um processo seletivo para esvaziar a ação do poder econômico. Jamais escondi minha predileção pela Acadêmicos do Salgueiro (“meu torrão amado”), no entanto, não posso me furtar a louvar milhões de vezes a atitude da verde e rosa. PARABÉNS MANGUEIRA!
A União da Ilha não lançou sinopse do enredo para que os autores tivessem liberdade para criar. Não se trata propriamente de uma grande inovação, mas é um diferencial no Grupo Especial para 2020

Daqui nós torcemos para que as novidades sejam acertadas e, sobretudo, para que a atitude da Mangueira seja seguida pelas demais escolas, entendemos que isso já é um grande sinal do renascimento do samba enredo e a oportunidade do ressurgimento de novos compositores, em disputas mais democráticas, que só elevarão a qualidade dos sambas.

A seguir nossas primeiras impressões sobre a boa safra 2020 dos sambas escolhidos, que, em sua maioria, trazem críticas ao trágico momento político que vivemos. Não se trata de uma análise, com algum aprofundamento, apenas observações que pode funcionar como uma introdução, para que o nosso leitor possa ouvir os sambas com “outros ouvidos”.

Seguindo a ordem do desfile.
Domingo (23/2)

Estácio de Sá – o enredo “Pedra” – Compositores: Edson Marinho, Jorge Xavier, Júlio Alves, Jailton Russo, Ivan Ribeiro e Dudu Miller. Primeiro samba a entrar na avenida vai acordar o povão com uma levada fácil, embalada, mas especial. Letra densa. Deve pontuar bem. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=COMFYciP21g

Viradouro – o enredo “Viradouro de alma lavada” – Compositores: Renan Gêmeo, Rodrigo, Bebeto Maneiro, Thiago Carvalhal, Ludson Areia, Jr. Filhão, Raphael Richid, Ricardo Neves, Carlinhos Viradouro. Outro samba que tem olho na pontuação e que dá conta do recado. Descomplicado, tem um refrão de meio forte. Bom samba. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=k9nO7tVpR3M

Mangueira – o enredo “A verdade vos fará livre” – Compositores: Manú da Cuíca e Luiz Carlos Máximo. Muito fiel ao enredo melodia e letra comovem associando a religiosidade ao que tem de mais humano no morro de Mangueira, belíssimo samba. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=MlJ8P6lYKJA
Paraíso do Tuiuti – o enredo “O Santo e o rei: encantarias de Sebastião” – Compositores: Moacyr Luz, Cláudio Russo, Aníbal, Júlio Alves, Pier e Tricolor. Belíssima melodia bem casada com uma letra inteligente, gostoso de ouvir e que ajuda a evolução. Uma obra e tanto. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=zpwWUMMljE0

Grande Rio – o enredo “Tata Londirá: o canto do caboclo no quilombo de Caxias” – Compositores: Dere, Robson Moratelli, Rafael Ribeiro e Toni Vietnã. Da bela homenagem do enredo, se fez uma letra bem construída e uma melodia cadenciada capaz de proporcionar um bom desfile pra escola. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=1WtDK6y-vRw

União da Ilha – o enredo “Nas encruzilhadas da vida, entre becos, ruas e vielas, a sorte está lançada: Salve-se quem puder!” – Compositores: Márcio André, Marcio André Filho, Rafael Prates, J. Alves, Daniel, Marinho. Letra e melodia de muito boa qualidade, um novo estilo União da Ilha que vai ganhar em evolução Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=Z-lsW6R-m-8

Portela – o enredo “Guajupiá, terra sem males” – Compositores: Valtinho Botafogo, Rogério Lobo, José Carlos, Zé Miranda, Beto Aquino, Pecê Ribeiro, D´Sousa e Araguaci. Melodia difícil, letra dentro do enredo. Tem uma levada polêmica, mas é forte na estrutura. Outra obra com uma ótima pitada politizada. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=hovAvpsIaBU

Segunda-feira (24/2)

São Clemente – o enredo “O conto do vigário” – Compositores: Compositores: André Carvalho, Gabriel Machado, Pedro Machado, Gustavo Albuquerque, Camilo Jorge, Luiz Carlos França, Marcelo Adnet e Raphael Candela – Talvez seja o samba mais mordaz na crítica política da atual conjuntura. Muito bem-humorado é uma feliz união da tradição da escola com o perfil do ator Marcelo Adnet, um dos parceiros do samba. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=KBoW0bM85IU

Vila Isabel – o enredo “Gigante pela própria natureza: Jaçanã e um índio chamado Brasil” – Compositores: Cláudio Russo, Chico Alves e Júlio Alves. Samba fácil que canta uma frase do esquenta da escola (Sou da Vila / Não tem jeito) pra aquecer o ânimo de público e componentes. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=780cXNHkbS4
]
Salgueiro – o enredo “O rei negro do picadeiro” – Compositores: Marcelo Motta, Fred Camacho, Guinga do Salgueiro, Getúlio Coelho, Ricardo Neves e Francisco Aquino. O samba tem passagens difíceis, mas também tem um refrão final que honra as tradições salgueirenses, animado, convoca a escola pra cantar. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=tPziUe9s3u8

Unidos da Tijuca – o enredo “Onde moram os sonhos” – Compositores: Dudu Nobre, Jorge Aragão, Fadico, André Diniz e Totonho – Uma parceria da pesada assina o samba de belíssima melodia e que conta bem o enredo fielmente. Samba de briga. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=21Yi7PVS7XE
Mocidade – o enredo “Elza deusa Soares” – Compositores: DR Márcio, Igor Vianna, Jefferson Oliveira, Prof. Laranjo, Renan Diniz, Solano Santos, Sandra de Sá e Telmo Augusto. A bela história da cantora Elza Soares tem um samba que procura tocar na emoção do povão. Boa qualidade melódica e poética impactantes. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=P0FvPpD-Fg0

Beija-Flor – o enredo “Se essa rua fosse minha” – Compositores: Magal Clareou, Diogo Rosa, Júlio Assis, Jean Costa, Dario Jr e Thiago Soares. – O tradicional andamento nilopolitano, ganhou um perfeito encache de letra e melodia. Mais uma vez um belo samba. Ouça o samba no link: https://www.youtube.com/watch?v=6Ka-q_qEjTg
*Ricardo de Moraes: Produtor Cultural e diretor presidente do Centro de Referência Carioca do Samba
** O Programa Tudo é Música – Especial sobre as Escolas de Samba foi uma série exibida pela TVE, na década de 80. Apresentado por um dos maiores pesquisadores do samba, José Ramos Tinhorão. Veja o link:
https://www.facebook.com/100009991188563/videos/975119016164462/

*Ricardo de Moraes: Produtor Cultural, especialista em docência do ensino superior e diretor presidente do Centro de Referência Carioca do Samba

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Compartilhe esta matéria:

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.




Publicidade


Top