Acompanhe nossas redes sociais

Sérgio Ricardo lança DVD no Teatro Municipal



Foto: Ana Rezende

Músico, cineasta, gestor cultural são muitas as facetas de Sérgio Ricardo que na próxima sexta-feira, 27 de setembro, às 20h, vai lançar em apresentação única, o DVD e CD comemorativo de seus 70 anos de carreira, no Teatro Municipal de Niterói.

“Cinema na Música de Sérgio Ricardo” foi gravado e filmado com as participações especiais de Alceu Valença, Geraldo Azevedo,ori Caymmi e João Bosco e tem a coprodução do Canal Brasil e distribuição da Biscoito Fino.

Dirigido por Marina Lutfi, sua filha – designer e cantora, que também estará presente no palco, o show apresenta as principais criações de Sérgio para o cinema, campo em que recebeu inúmeras premiações por trilhas sonoras inesquecíveis, como a de “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, de Glauber Rocha, e de filmes próprios, como “A Noite do Espantalho”.

No show de lançamento, que terá as participações especiais de Jards Macalé, Zé Renato e Antônio Pitanga, Sérgio Ricardo divide o palco com os filhos Marina Lutfi (voz) e João Gurgel (voz e violão), acompanhados pelos feras Alexandre Caldi (sopros), Diego Zangado (percussão), Giordano Gasperin (baixo) e Antônio Dalbó (piano). No repertório, canções como “Barravento”, inspirada no filme de Glauber; “Esse mundo é Meu”, com letra de Ruy Guerra; “Cantador de Cajazeiro” (abertura de “A Noite do Espantalho”); e, claro, “Deus e o Diabo na Terra do Sol”. Músicas clássicas de Sérgio Ricardo também terão espaço, como “Zelão” e “Calabouço”.

A apresentação é acompanhada por projeções de trechos dos filmes – a maioria com fotografia de Dib Lutfi, o “homem-grua” do Cinema Novo, que faleceu em outubro de 2016. Dib era o irmão caçula de Sérgio Ricardo. A cuidadosa seleção das imagens foi feita pelo VJ Victor Magrath, editor dos últimos filmes de Sérgio, profundo conhecedor de sua filmografia.

Compositor de inúmeras canções e trilhas sonoras, o bom contador de histórias Sérgio Ricardo se tornou cineasta nos anos 60. Premiado internacionalmente, realizou quatro longas metragens – “Esse mundo é meu” (1964), “Juliana do amor perdido” (1968), “A noite do espantalho” (1973) e o mais recente “Bandeira de Retalhos” (2018) – além de alguns curtas, entre eles “Menino da calça branca” (1961) e “Pé sem chão” (2014).

Ainda nos anos 60, Sérgio protagonizou uma cena antológica no III Festival de Música Popular Brasileira, transmitido pela TV Record, quando vaiado pelo público ao cantar “Beto Bom de Bola” quebrou o violão e atirou contra a plateia.

Foto: Ana Rezende

SERVIÇO

Sergio Ricardo
Data: 27 de setembro, sexta-feira
Horário: 20h
Duração: 80 min
Classificação indicativa: Livre
Ingresso: R$60 (inteira)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Compartilhe esta matéria:

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.




Publicidade


Top