Acompanhe nossas redes sociais

Alta em preços de alimentos, em 12 meses, é quase o triplo da inflação



Alta dos preços dos alimentos é o triplo da inflação. Foto: Tânia Rêgo, Agência Brasil

A alta dos preços dos alimentos, preocupa o brasileiro. Em 12 meses, desde o início da pandemia de Covid-19, o preço dos produtos alimentícios subiu 15% no país. Quase o triplo da taxa oficial de inflação registrada no período, de 5,20%.

Neste período de pandemia, o preço do óleo de soja subiu 87,89%, o arroz ficou 69,80% mais caro e a batata está custando 47,84% a mais. Em 2020, o governo chegou a anunciar medidas para tentar conter a escalada, como a isenção de impostos para a importação de arroz, mas os impactos foram pequenos.

Em fevereiro, a alta dos alimentos desacelerou com o fim do auxílio emergencial. Subiu 0,27%, menos do que os 1,02% registrados em janeiro. A maior pressão no IPCA ficou por conta da gasolina, que subiu 7,11% no período e foi responsável por 42% da inflação de fevereiro. O índice voltou a acelerar e fechou o mês com alta de 0,86%, maior taxa para fevereiro desde 2016.

Para os próximos meses, a expectativa é de que a inflação suba ainda mais e chegue a 6% a 7% até julho, acima do teto da meta prevista de 5,25%. O temor dos analistas é que as pressões ainda maiores dos preços do combustível, reajustada seis vezes desde janeiro, combinadas com a alta do dólar, possam manter a tendência de alta.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Compartilhe esta matéria:

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.




Publicidade


Top