Pontos de Cultura de Niterói apresentam projetos e ações em encontro internacional

Pontos e Pontões de Cultura de Niterói apresentaram seus projetos e ações durante o 5º Congresso Latino-Americano de Cultura Viva…

De acordo com secretário das Culturas, Niterói é uma das poucas cidades a manter uma rede de Pontos e Pontões de Cultura

Durante o 5° Congresso Latino-Americano de Cultura Viva Comunitária, que aconteceu de 8 a 15 de outubro, no Peru, Pontos e Pontões de Cultura de Niterói, acompanhados de coletivos culturais de base comunitária que integram a comitiva brasileira, apresentaram seus projetos e ações, trocando experiências, com representantes do setor cultural de mais de 20 países da América Latina. 

O secretário municipal das Culturas, Alexandre Santini, destacou que os Pontos e Pontões de Cultura são parte da Política Nacional Cultura Viva, consolidada como política pública de Estado através da Lei 13.018/2014. 

“Niterói é uma das poucas cidades do país a manter com recursos próprios, de forma continuada, uma rede municipal de Pontos e Pontões de Cultura. Nossa cidade conta ainda com legislação própria para o setor, a Lei 3347/2018, de autoria do vereador Leonardo Giordano, que institui uma Política Municipal de Cultura Viva”, afirmou o secretário.

Santini acredita que o alcance e o reconhecimento internacional dessa política é reflexo do impacto positivo de um ciclo virtuoso das políticas culturais brasileiras nas primeiras décadas do século XXI em países latino-americanos. 

“Os Pontos de Cultura brasileiros influenciaram a América Latina, inspiraram a criação de movimentos e de Pontos de Cultura em vários países. Temos políticas públicas de Pontos de Cultura no Peru, no México, no Chile, na Argentina, na Costa Rica. Hoje, a força do movimento latino-americano de Cultura Viva Comunitária nos dá ânimo e esperança para a retomada dessas políticas em nível nacional no Brasil”, explicou. 

Segundo David Nascimento Bassous (Mestre Bujão), fundador do Ponto de Cultura Instituto Gingas de Niterói, a troca de experiências com instituições culturais de outros países foi enriquecedora. 

“A importância da participação do Gingas (no congresso) é de tecer um diálogo com outros atores e instituições culturais de toda América Latina, no qual, ao mesmo tempo em que aprendemos com outros companheiros de luta no fazer cultural, também podemos entregar o conhecimento sobre o programa Cultura Viva, acumulado desde 2009. A experiência fortaleceu ainda mais o desejo de continuar potencializando o fazer cultural em nossa cidade. A oportunidade só se concretizou por conta de possuirmos gestores públicos que apoiam a arte e a cultura da cidade de Niterói.”

Atualmente, Niterói conta com dez Pontos de Cultura e dois Pontões. As políticas culturais de base comunitária da Secretaria das Culturas compreendem ainda ações locais beneficiadas pelo edital Cultura e Território e pelo projeto Brotaí – Rede de Cultura Comunitária. De acordo com Santini, a pasta trabalha com um conjunto de políticas públicas que tem como objetivo a garantia dos direitos culturais de maneira democrática, descentralizada e territorializada.

Foto: Antônio Machado 

Comentários
Compartilhe esta matéria:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.

Quer enviar uma queixa ou denúncia, ou conteúdo de interesse coletivo, escreva para noticia@diariodeniteroi.com.br ou utilize um dos canais do menu "Contatos".




Top