Acompanhe nossas redes sociais

Prefeitura lança projeto de capacitação na área do empreendedorismo feminino



São 120 vagas destinadas às mulheres. O objetivo é transformar a realidade e gerar oportunidades de renda e autonomia.

A Prefeitura de Niterói lançou, nesta quarta-feira (20), o projeto Mulher Livre que vai oferecer oportunidade de capacitação para 120 mulheres na área do empreendedorismo feminino. O lançamento aconteceu na Cúpula do Caminho Niemeyer e contou com representantes do governo, do legislativo e de parceiros de diversos setores. O projeto será desenvolvido com o prêmio que faz parte do edital do Consulado Americano – Federal Assistance 2021, recebido pela Coordenadoria de Políticas para Mulheres (Codim). O projeto prevê que sobreviventes de violência de gênero ou em situação de vulnerabilidade social tenham um percentual de vagas para busca de oportunidades de geração de renda. O valor do prêmio, 19.655,18 mil dólares (cerca de R$ 109 mil), será utilizado ao longo de um ano.

O secretário Executivo, Bira Marques, representou o prefeito de Niterói, Axel Grael, e ressaltou que a parceria é motivo de orgulho para a cidade.

“É uma grande responsabilidade representar o prefeito Axel Grael neste evento. Essa parceria é motivo de orgulho. Estamos entre as prefeituras mais bem avaliadas do Brasil e em uma cidade com um dos melhores indicadores e isso é fruto de muito trabalho, esforço e planejamento. É de grande importância traduzir aquilo que a gente defende no processo eleitoral em políticas públicas. O poder público não chega sozinho a lugar nenhum e aí entram as parcerias. A parceria com a Câmara de Vereadores, com os setores privados que investem na cidade e com o terceiro setor é extremamente importante e amplia as oportunidades”, reforça o secretário.

A coordenadora de Políticas e Direitos das Mulheres, Fernanda Sixel, explica que o desejo é que esse projeto possa transformar a vida das mulheres que passarem por ele.

Oportunidades

“A Codim existe há 18 anos e atende em três unidades com a missão principal de combate e enfrentamento à violência contra a mulher. Queremos ofertar não só a porta de entrada para essas mulheres, com acolhimento e atendimento nos nossos equipamentos, mas construir as portas de saída e dar esperança, possibilidade e oportunidades para que essas mulheres construam uma nova trajetória”, destacou Fernanda.

Serão oferecidas quatro turmas com 30 vagas cada. Os cursos têm duração de quatro meses. As disciplinas incluem ensino à distância e presencial e abrangem as competências de liderança, planejamento estratégico, gestão financeira, inovação, programação, marketing digital entre outras.

Jacqueline Ward, Cônsul geral dos Estados Unidos no Rio de Janeiro, esteve na cerimônia e destacou que o projeto Mulher Líder se alinha aos temas prioritários da missão americana no Brasil.

“Hoje é um momento especial que marca o lançamento desta iniciativa incrível que vai dar muitas ferramentas necessárias para empoderar 120 mulheres. Quando recebemos a proposta do Mulher Líder sabíamos que seria o início de uma excelente parceria. Chegaram muitas propostas juntas, mas o empoderamento feminino, inovação e ascensão social têm sido temas prioritários para a missão diplomática dos Estados Unidos no Brasil e isso é o que nos movimenta. Por isso escolhemos financiar esse projeto, pois acreditamos que a educação, o preparo e o incentivo são instrumentos que farão com que essas mulheres alcancem o seu máximo potencial”, declarou a cônsul.

A metodologia atende a pelo menos quatro itens propostos no edital como Igualdade de gênero – Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas; Trabalho decente e crescimento econômico – Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos; Indústria, Inovação e Infraestrutura – Construir infraestrutura resiliente, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação; e Redução das Desigualdades.

O projeto Mulher Líder está alinhado ao Plano Estratégico de Niterói e colabora com a possibilidade de transformar a realidade dos lugares onde as mulheres residem a partir da ação direta de uma liderança empoderada e capacitada. Essa proposta vai ao encontro de uma cidade próspera e dinâmica, com promoção da inclusão social e permitindo que os cidadãos menos favorecidos tenham a oportunidade de fazer parte da geração de renda da cidade, por meio da construção de capital intelectual nas áreas conectadas aos pontos fortes econômicos locais ofertando oportunidades iguais.

Parcerias 

O desenvolvimento do projeto contou, desde o início, com várias parcerias. O Escritório de Gestão de Projetos, através do Núcleo de Relações Internacionais e Institucionais, apoiou o processo para obtenção dos recursos. O Núcleo exerce essa função de apoio às secretarias para firmar acordos internacionais e todo suporte no processo.

A Associação Comercial do Estado do Rio de Janeiro (Acierj) abrigará o espaço coworking em sua sede no Centro de Niterói, já o Senac-RJ participa na área de inovação com cursos, mentorias e bolsas de estudo. Além disso, há uma parceria com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, com capacitações em programação e computação gráfica que já são parte integrante do Programa Plataforma Urbana Digital.

Foto: Bruno Eduardo Alves

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Compartilhe esta matéria:

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.




Publicidade


Top