Acompanhe nossas redes sociais

Niterói lança Fórum Municipal do Clima



No momento em que o Brasil é criticado por países e organizações não governamentais pela sua política ambiental, Niterói lançou, nesta terça-feira (01), o seu Fórum Municipal de Mudanças. O evento híbrido, que contou com lideranças nacionais e internacionais, marcou a criação pela Prefeitura de Niterói do Fórum Municipal de Mudanças Climáticas.

Do Solar do Jambeiro, o prefeito de Niterói, Axel Grael, e o secretário municipal do Clima, Luciano Paez, participaram presencialmente. Outros palestrantes, como a Chefe do Programa de Soluções para Cidades Resilientes e Sustentáveis da Cidade de Copenhague, Lykke Leonardsen; a Coordenadora Residente das Nações Unidas no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto; o consultor do Banco Mundial e dos Fundos de Investimento de Clima, Andres Falconer; e o coordenador estratégico do Climate Reality, Sérgio Besserman, participaram de forma remota.

Axel Grael, disse que não é mais possível olhar para a cidade e delegar para outros a solução dos problemas climáticos. Para ele, a complexidade de soluções para os problemas do mundo requer uma abordagem ao mesmo tempo local, nacional, global e planetária. A criação do fórum municipal e da secretaria municipal do Clima demonstra a responsabilidade que a cidade assume na agenda climática.

“O tema da mudança climática é extremamente complexo e trazer o cidadão a se interessar para participar das ações decisórias é um enorme desafio. O processo de transformação precisa romper uma certa inércia, que passa uma mensagem pessimista. Precisamos montar uma agenda ambiental com situações de sucesso que possam promover a mudança. Niterói tem que fazer a sua parte para que o que a gente faz aqui motive os municípios vizinhos”, destacou.

O secretário municipal do Clima, Luciano Paez, explicou que, com a criação do fórum municipal, serão criadas câmaras técnicas que atuarão constantemente na busca por soluções para adaptação e mitigação das consequências das mudanças climáticas em Niterói, e em estudos e pesquisas que colaborem para soluções relativas ao tema. Já está disponível o chamamento público para que a sociedade organizada participe formalmente do fórum.

“Essa é a primeira secretaria de mudanças climáticas da América Latina, então temos um grande aprendizado a percorrer, dentro da gestão pública municipal. Não temos dúvida que nosso trabalho aqui será um grande divisor de águas. Todo esse trabalho que estamos iniciando hoje, com o lançamento do fórum, vai trazer oportunidades para que a gente construa a agenda climática na cidade”, disse.

O consultor do Banco Mundial e dos Fundos de Investimento de Clima, Andres Falconer, defendeu que a mudança climática exige priorização em outro patamar.

“A experiência de Niterói no tema da sustentabilidade é um sucesso. Não é exagero dizer que não só o país, mas o mundo, assiste com atenção o trabalho da cidade com a Secretaria do Clima”, comentou.

Também participaram do fórum, Sérgio Besserman, da Puc-RJ; Mariova Neto, da Unesco; Ana Wernke e Rodrigo Perpétuo, do ICLEI; Guilherme Sirkis, do Centro Brasil do Clima; Márcia Massotti, da ENEL; Marcio Cataldi e Larissa Silveira, da UFF; Mario Mantovani, do SOS Mata Atlântica; Rafael Robertson e Fabiana Barros, da SMARHS; Valéria Braga e Victor Costa Ramos, da EGP; Filipe Simões, do Niterói de Bicicleta; Walace Medeiros, da Defesa Civil de Niterói; Vinicius Wu, da Secretaria de Educação; e Dayse Monassa, da Seconser.


Foto: Bruno Eduardo Alves

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Compartilhe esta matéria:

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.




Top