Acompanhe nossas redes sociais

Prefeitura de Niterói inaugura primeiro centro de quarentena da Covid-19 do País



Espaço oferece 120 vagas para niteroienses que forem diagnosticados com sintomas leves de coronavírus por meio de teste rápido e não possam cumprir isolamento sem colocar a vida da família e da comunidade em risco

Centro de quarentena. Foto: Berg Silva

A Prefeitura de Niterói inaugurou, nessa quarta-feira (29), o primeiro centro de referência de quarentena do País. O Ciep Esther Botelho Orestes, no Cantagalo, já havia sido reformado pelo Município e foi adaptado para receber moradores de comunidades com sintomas leves que testarem positivo para Covid-19 e não tiverem condições de cumprir o isolamento social sem colocar em risco pessoas que moram na mesma casa. A unidade possui 120 vagas e terá cerca de 80 profissionais das secretarias de Saúde e Assistência Social.

Segundo o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, essa medida está alinhada com outras ações feitas pela Prefeitura para deter o avanço da Covid-19 na cidade, como a sanitização das principais ruas e comunidades, entrega de 80 mil kits de limpeza e a realização de testes rápidos, adquiridos com recursos municipais, para identificar as pessoas com o novo coronavírus.

“Estamos fazendo um esforço muito grande com várias medidas para evitar a propagação rápida do vírus na nossa cidade”, destaca Rodrigo. “Sabemos que muitas pessoas que vivem nas comunidades, se não tiverem o centro de referência de quarentena para fazer o seu isolamento social, mesmo tendo sintomas leves, vão contaminar toda a família e toda a comunidade, porque muitas vivem na mesma residência. O centro de referência de quarentena para Covid-19 é um espaço de acolhimento, onde as pessoas terão todo acompanhamento e vão poder se curar, se recuperar. Ao fim do período de 14 dias, serão novamente testadas e, caso estejam curadas, poderão retornar para sua família e sua comunidade sem o risco de disseminar o vírus. Dessa forma a gente salva vidas e não sobrecarrega a rede de saúde, sobretudo as UTIs e os respiradores da cidade”, destacou o prefeito.

O secretário municipal de Saúde, Rodrigo de Oliveira, lembra que o vírus passa de uma pessoa para outra com muita facilidade e rapidez, por isso é importante a identificação do paciente infectado e seu isolamento imediato.

“O centro de referência foi articulado com a ampliação da testagem rápida que está sendo implantada pelo Programa Médico de Família nos postos de saúde”, explica o secretário. “As pessoas que têm sintomas leves, como uma coriza e uma tosse, poderão ser testadas após o oitavo dia de sintomas e, se for confirmada a Covid-19, seguiremos todos os protocolos firmados com a Fundação Oswaldo Cruz e a Universidade Federal Fluminense e as orientações para fazer o isolamento. Caso a equipe do Médico de Família identifique que não é possível fazer o isolamento na residência, a pessoa será convidada para o centro de referência de quarentena, que já está pronto para receber a população”.

O secretário ainda ressalta que o os pacientes com sintomas leves não devem procurar os hospitais de referência, para que essas unidades possam prestar atendimentos aos casos mais graves. Quem tem sintomas leves deve procurar as unidades básicas de saúde ou do Programa Médico de Família do bairro.

Estrutura – O centro de referência de quarentena terá 120 leitos, divididos entre alojamento masculino, feminino e uma enfermaria para pacientes que precisam de mais cuidados. Todos os quartos possuem ar condicionado e armários para pertences pessoais. No local, há espaço de lazer, refeitório e uma ambulância do Samu que ficará de prontidão para levar os usuários até a Unidade de Urgência Mário Monteiro, em Piratininga.

A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Flávia Mariano, destaca que o espaço tem uma equipe multidisciplinar que vai oferecer todo suporte necessário a todos que precisarem passar o período de quarentena no centro de referência.

“O trabalho é uma parceria entre as secretarias de Assistência e da Saúde e contará com assistentes sociais, psicólogos, educadores, técnicos de segurança do trabalho, enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos para dar todo o acolhimento possível para os usuários do centro de quarentena. O espaço oferecerá seis refeições por dia (café da manhã, colação, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia) que terão acompanhamento nutricional e foram pensadas para que a gente possa assegurar a segurança alimentar dessas pessoas”, informou Flávia.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
Compartilhe esta matéria:

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.




Top