Niterói Jovem Ecosocial se destaca na CCA 2023

O EcoSocial inova ao reunir capacitação profissional e ações nas comunidades em defesa da sustentabilidade, promovendo conscientização e oportunidades em…

O Niterói Jovem Ecosocial, o Parque Orla Piratininga e o Programa de Neutralização de Carbono no Caramujo foram algumas das iniciativas abordadas nesta sexta-feira (29) pelo prefeito de Niterói, Axel Grael, durante a Cúpula das Cidades 2023. O evento, promovido pelo Governo dos Estados Unidos em Denver, no Colorado, reúne mais de 250 prefeitos, além de autoridades locais e representantes de entidades não-governamentais.

Programa Ecosocial

Durante o painel “Empregos verdes e habilidades: quem, onde e como”, promovido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Axel Grael explicou como funciona o Niterói EcoSocial, programa que hoje beneficia 500 jovens. “O EcoSocial inova ao reunir capacitação profissional e ações nas comunidades em defesa da sustentabilidade, promovendo conscientização e oportunidades em áreas de vulnerabilidade social”, disse o prefeito que, ao falar sobre o Programa de Neutralização do Carbono no Caramujo, lembrou dos investimentos no bairro com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Niterói.

A Moeda Recicle, lançada recentemente pela Clin no Buraco do Boi, no Barreto, foi outra inovação abordada pelo prefeito de Niterói. “Contamos com parceiros privados para, com essa moeda, estimular a sustentabilidade e a inclusão. O cidadão troca material reciclável, como embalagens plásticas, pela moeda que pode ser usada, por exemplo  em cursos de capacitação profissional”, explicou Grael durante a mesa Desenvolvimento Urbano e Economia Circular: uma abordagem inspiradora para começar!, organizada pelo Iclei – Governos Locais pela Sustentabilidade.

Grael também participou do painel “Como as Soluções Baseadas na Natureza (SBN) Fornecem Resiliência Climática Urbana”, promovida pela WRI, aliança que reúne dezenas de cidades no mundo, em defesa da natureza, em especial, das florestas. “O Parque Orla é o maior projeto com utilização de soluções baseadas na natureza da América Latina. Além de recuperar o sistema lagunar, o POP vai proporcionar mais qualidade de vida, incentivar turismo e negócios, com geração de empregos e inclusão”, disse Grael, que viajou a convite do Governo dos Estados Unidos acompanhado dos secretários municipais do Clima, Luciano Paez, e do Escritório de Gestão de Projetos, Katherine Azevedo.

Luciano Paez destacou o Programa de Neutralização do Caramujo. “Um exemplo eficaz nas linhas dos debates de hoje foi o Programa Social, que estamos desenvolvendo na comunidade do Caramujo. Temos ações de separação de resíduos e compostagem programadas, trabalhando assim a economia circular. Os empregos verdes já estão sendo induzidos por nós também, com os agentes climáticos, que são moradores locais contratados para desenvolverem, no território, as capacitações e acompanhamentos desta ação. E um grande impacto econômico é o recebimento, via moeda Arariboia, de recursos de até R$ 750 para as famílias que reduzirem seus consumos de água, energia e produção de lixo”, disse o secretário.

“O evento possibilitou  que diferentes prefeitos da América, assessores e organismos não-governamentais trocassem suas experiências e desafios. Niterói tem muitos exemplos de sucesso, especialmente na área ambiental e social, que são reconhecidos internacionalmente e podem ser replicados em outras cidades”, ressalta Katherine Azevedo.

Parque Orla Piratininga

O Parque Orla Piratininga Alfredo Sirkis (POP) foi planejado para proteger e recuperar os ecossistemas da Lagoa de Piratininga e o seu entorno, recuperar a qualidade ambiental das águas, evitando a chegada de sedimentos e nutrientes, além de oferecer equipamentos de lazer, recreação, contemplação, cultura e educação ambiental.

As obras do POP, que integram o Programa Região Oceânica Sustentável (PRO Sustentável), estão em fase final. 

Os jardins filtrantes implantados são ações inovadoras na linha de soluções baseadas na natureza, adotadas em países que privilegiam a proteção ao meio ambiente. Essas estruturas, além de comporem paisagisticamente o ambiente, tratam as águas dos rios e de escoamento superficial antes de aportarem à Lagoa de Piratininga. As vegetações do tipo macrófitas fazem parte do projeto de engenharia para melhoria da qualidade da água. Serão 35 mil metros quadrados de jardins filtrantes.

O Parque terá uma área de 680 mil metros quadrados, incluindo as ilhas do Modesto, Pontal e do Tibau. Além dos jardins filtrantes, o Parque Orla Piratininga Alfredo Sirkis terá quatro píeres de contemplação e seis de pesca, 10.6 km de ciclovia que se integrará ao Sistema Cicloviário da Região Oceânica, 17 áreas de lazer, 3 mirantes e um centro eco cultural voltado para educação ambiental. O POP foi premiado no LATAM Smart City Awards 2022, na categoria “Prêmio Desenvolvimento Urbano Sustentável e Mobilidade”. Também foi destaque no Fórum Latino-Americano de BiodiverCidades, ano passado.

Saiba mais sobre o programa Niterói Jovem EcoSocial – Lançado em 2019, o Niterói Jovem EcoSocial é um programa desenvolvido pela Prefeitura de Niterói, por meio da Secretaria Municipal de Participação Social, que visa a inclusão social de jovens em situação de vulnerabilidade social, com idades entre 16 e 24 anos, de forma qualificada, ao buscar desenvolver habilidades sociais e competências profissionais, por meio de capacitação técnica profissionalizante, elevando o potencial de empregabilidade dos participantes.

Os jovens passam por um curso de capacitação na Firjan e posteriormente, fazem atividades de campo nas áreas de reflorestamento; ações preventivas a queimadas e sinalização de trilhas da cidade, entre outras, com remuneração e auxílio transporte. O Niterói Jovem EcoSocial foi ampliado e está na segunda turma, com 24 territórios beneficiados, como Bonsucesso, Beira da Lagoa, Boa Esperança, Jacaré, Rio do Ouro, Várzea das Moças, Maria Paula, Fazendinha, Praia Grande, Morro da Penha, Teixeira de Freitas, Caranguejo, Juca Branco, Coreia, Coronel Leôncio, Travessas, Nova Brasília, Buraco do Boi, Pátio Leopoldina, Morro da Ilha da Conceição, Boa Vista, São Lourenço, Vintém e Zulu (Santa Rosa).

Saiba mais sobre o Programa Social de Neutralização de Carbono na Comunidade do Caramujo – O projeto, que vai iniciar no entorno do Parque Esportivo e Social do Caramujo (Pesc), vai capacitar os moradores para agirem de forma ativa no processo de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE) na cidade. Dentre as medidas estão o plantio de mudas e orientação sobre meios de reduzir o carbono através de palestras e oficinas. O objetivo é promover o debate acerca das mudanças climáticas em comunidades de baixa renda e se expandir para outras localidades, começando pelo Caramujo, região com mais baixo índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Niterói. As famílias que conseguirem reduzir as emissões de gases entre serão compensadas com uma transferência de renda mensal.

Fotos: Divulgação / Flavia Abranches 

Comentários
Compartilhe esta matéria:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Quer anunciar no jornal Diário de Niterói? Clique aqui e fale diretamente com nosso atendimento publicitário.

Quer enviar uma queixa ou denúncia, ou conteúdo de interesse coletivo, escreva para noticia@diariodeniteroi.com.br ou utilize um dos canais do menu "Contatos".




Top